© 2017 By Flavia Costa

espanhabandeiraxx.jpg

Livro Inventado é um conceito aberto. Em sentido prático é um suporte hibrido de livro de artista, fotolivro, fanzine, impressos, livro objeto, livro manifesto e também, livro como exposição, livro como performance, etc. Livro Inventado é  tudo isso e não é nada disso. É imagem acústica de um significante, uma ideia que investe contra classificações diluidoras e rótulos caducos. Livro Inventado fabula, é experimental, em processo, uma nomeação poética que busca abrir portais para um campo ampliado de invenção do artista e uma leitura polissêmica do espectador, juntando tudo ao mesmo tempo - agora, antes e depois. 

 

Segundo Stephen Bury (1995), “livros de artista são livros ou objetos em forma de livro; sobre os quais, na aparência final, o artista tem um grande controle. O livro é entendido nele mesmo como uma obra de arte. Estes não são livros com reproduções de obras de artistas, ou apenas um texto ilustrado por um artista. Na prática, esta definição quebra-se quando o artista a desafia, puxando o formato livro em direções inesperadas”. Büchler (1986) nos dá ainda outra definição: “…Book art pode ser vista como uma arte de ação, uma espécie de happening ou teatro, considerando a situação em que o trabalho é experimentado e exige a participação do leitor. O livro fica no centro de tal situação, mas a experiência da situação é controlada pelo leitor.”

 

‚Äč

Marcos Bonisson